Resumo de Geografia: Industrialização


I Revolução Industrial ( séc XVIII)
Com berço na Inglaterra, tinha como principal fonte de energia o carvão mineral que era combustível da máquina a vapor. Alterou drasticamente o espaço geográfico dos países provocando urbanização e êxodo rural, sendo também responsável pelo agravamento das desigualdades sociais.
II Revolução Industrial (séc XIX)
O petróleo passou a ser a principal fonte de energia. A industrialização atingiu outras regiões como o Japão, os EUA, o Brasil e expandiu por toda a Europa, aumentando as disputas econômicas e ideológicas entre os países que foi a principal causa do Imperialismo( Neocolonialismo)  responsável pela exploração da Ásia e África. Além disso, motivou a I e a II Guerra Mundial.
O principal modo de produção era o Fordismo, que baseava-se na divisão de tarefas e em uma produção altíssima com presença de grandes estoques.
III Revolução Industrial ( pós II Guerra Mundial)
As técnicas de transporte e comunicação foram responsáveis pela flexibilização da produção e por uma nova divisão de trabalho no globo ( as sedes e os centros de desenvolvimento tecnológico ficam nos países já industrializados antes e as industrias vão para os países periféricos).
O principal modo de produção é o Toyotismo que tem como técnica de produção a chamada “just in time”, fabrica-se o produto de acordo com a demanda do mercado evitando a desvalorização do produto e  os grandes estoques.
Além disso, houve uma valorização do desenvolvimento cientifico, favorecendo o surgimento de tecnopólos nas áreas próximas aos centros de pesquisas e universidades.
Tecnopólos
São áreas com importantes centros de pesquisas e empresas focadas no desenvolvimento tecnológico. O mais famoso é o Vale do Silício nos Estados Unidos, onde estão presentes as principais empresas de informática e computação do mundo como Microsoft, Apple, Google e Facebook. No Brasil, os principais são em São José dos Campos, onde está o ITA, a EMBRAER e o INPE, em Campinas( Unicamp, IBM, HP e outras empresas), São Carlos( USP e UFSCAR), Nova Friburgo ( desenvolvimento têxtil), Santa Rita do Sapucaí( eletrotécnica).
Tigres Asiáticos e Novos Tigres Asiáticos
Os primeiros são Cingapura, Coréia do Sul, Hong Kong e Taiwan. Realizaram pesados investimentos a partir da década de 1970 na educação formando uma mão de obra altamente qualificada e na indústria naval para viabilizar exportação em larga escala.
Os novos são Vietnã, Camboja, Tailândia, Malásia, Filipinas, Indonésia e Laos. Seguiram o modelo chinês de industrialização, oferecendo mão de obra barata e recursos para instalação de industrias no seu território, diante disso apresentam problemas sociais parecidos com os da China e de outros países em desenvolvimento.
China
A partir de 1978 no governo de Deng Xiaoping houve uma abertura econômica formando as ZEEs ( Zonas Econômicas Especiais), cidades litorâneas escolhidas pelo governo para receber investimentos de multinacionais. A China é protecionista exigindo que as empresas repassem tecnologias, porém continua recebendo investimentos devido a mão de obra barata e abundante e ao descaso com leis ambientais.
Índia

 A Índia apresenta duas grandes vantagens para as multinacionais: mão de obra barata e qualificada( o governo faz pesados investimentos em informática) e uma da línguas oficiais é o inglês, o que permite não só a instalação de indústrias como também de centros de tele atendimento.
Brasil
1ª fase( de 1500 até 1808): pequenas indústrias domesticas e têxtil, eram distantes e isoladas uma da outra não havendo um surto industrial.
2ª fase(1808 a 1930): pequenas fábricas de produção de bens não duráveis em regiões já urbanizadas do país devido a infraestrutura.
3ª fase( 1931 a 1955): a Crise de 29 foi o estopim da industrialização, foi necessário aumentar a produção de bens não duráveis e surgiram a industrias de base (CSN, Vale do Rio Doce). Houve uma melhora nas leis trabalhistas e pesados investimentos em infraestrutura,. Porém, a industrialização ficou concentrada no sudeste do país, aumentando as desigualdades espaciais.
4ª fase( Período JK): abertura da indústria para multinacionais e produção de bens de consumo duráveis (carros, eletrodomésticos). Tentativa de industrializar as demais regiões do país com a criação das superintendências regionais(SUDENE, SUDAM).
5ªfase( Milagre Econômico): o Estado supervisionava as relações econômicas e era protecionista, aumentando e diversificando a produção nacional devido as dificuldades de importação. O tal milagre desacelerou a partir do 1º Choque do Petróleo.
6ª fase( 1986-hoje): Modernização tecnológica, diversificação da produção e descentralização do eixo Rio-São Paulo-Minas devido ao encarecimento da mão de obra dessa região e a guerra fiscal (os municipais buscam atrair industrias com a redução de impostos).
sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014
Posted by A Estudante

Como aprender matemática


Matemática é a matéria mais temida pela maioria dos estudantes, pois dizem que é muito chata e complicada. Mas mesmo assim, existem pessoas que a consideram a matéria mais legal e a acham até simples.
Se você observar a pontuação do ENEM por áreas de conhecimento é possível perceber como um bom conhecimento de matemática pode ser um diferencial numa prova de alta concorrência.
No último ENEM (2013), eu acertei a mesma quantidade de questões em Linguagens e Códigos e em Matemática, mas minha pontuação em Matemática foi 150 pontos maior que em Linguagens. Isso ocorre porque o TRI (Teorema de Resposta ao Item, o cálculo usado para estabelecer as notas de acordo com a quantidade e dificuldade dos seus acertos) valoriza a nota de quem acerta o que a maioria não acerta.
O ENEM e os vestibulares, no geral, valorizam o diferencial, que é muitas vezes poucos pontos a mais em matérias que apresentam maior dificuldade, como matemática e redação geralmente.

O objetivo é tornar a matemática sua principal aliada ao longo desse ano. Se você já tem um nível bom em matemática continue fazendo o que está funcionando, mas se matemática é uma das suas maiores inimigas, eu tenho umas dicas que já deram a mim e a vários colegas e amigos resultados positivos.
Matemática não é chata, não é impossível
Torne isso seu novo mantra. Se tem gente que aprende, gente que é considerado um gênio, por que você também não pode ser uma dessas pessoas?
Matemática é tão complicada quanto qualquer matéria da escola, o que muitas vezes falta é interesse em aprender.
 Assumindo uma postura de que você vai aprender matemática já é meio caminho andado para o sucesso.
Às vezes o problema está na base
Muitas pessoas tem dificuldade na matéria devido a problemas no Ensino Médio e no Ensino Fundamental, pois não tinham interesse, não teve um bom professor, achava o conteúdo muito extenso ou outros milhares de motivos.
A melhor solução é reestruturar a sua base, pois sem uma boa base você não vai conseguir aprender conteúdos novos, para isso busque identificar o início do seu problema ( Foi no sexto ano ou talvez nono ano ou já no ensino médio?) e acabe com ele estudando todo esse conteúdo de novo e fazendo o máximo de exercícios que você conseguir.
Se a sua dificuldade for muito grande, eu indico você conseguir livros didáticos do ensino fundamental ( entre 6º e 9º ano) e ler os conteúdos e resolver todas as questões.
Preste atenção na resolução de exercícios
Analise o processo. O que deve ser encontrado primeiro? Que parte da equação devo responder primeiramente e depois?
Se tiver medo de esquecer o processo, escreva o passo-a-passo da resolução ( 1º Resolver a multiplicações e divisões na ordem que aparece, 2º realizar as adições e subtrações, 3º isolar o x...).
E sempre refaça os exercícios de exemplos que tem no livro ou que seu professor passou até entender todo o processo.
Não use calculadora
Evite, ela não é necessária  pois você deve aprender e praticar soluções básicas como uma simples multiplicação e você não vai poder usá-la no dia do vestibular.  Gaste quantas folhas de papel forem possíveis mas não use calculadora.
Treine muito
Resolva o máximo de exercícios que conseguir. Comece pelos de nível básico e vá avançando de acordo com o seu desempenho. Aos poucos, você vai perceber que matemática é até fácil.
Dicas de materiais
Os meus livros preferidos são os da coleção Fundamentos da Matemática Elementar do Gelson Iezzi, são 10 livrinhos divididos por tema. Você pode encontrar eles em livrarias por entre 70 e 100 reais, mas os meus eu comprei num sebo( são da edição de 1985) por 12 reais cada. Eles tem uma abordagem bem simples e abrangente, além de serem cheios de exercícios.
Para complementar, eu imprimia questões dos vestibulares que eu ia fazer e tentava resolver o máximo possível.
sábado, 15 de fevereiro de 2014
Posted by A Estudante

Sobre a página

   O vestibular é difícil e a concorrência é grande, o que as vezes torna o sonho de estudar numa boa universidade boa um objetivo quase impossível. Diante disso, para ajudar a todos que estão enfrentando ou enfrentarão essas provas que esse blog foi criado.
   Aqui será possível encontrar dicas de estudo, motivações, indicações de materiais, resumos dos conteúdos e outros.
   Por isso, pedimos também a participação dos leitores. Se tiver dúvidas, sugestões de sites ou passou no vestibular e quer contar a sua história, por favor nos envie um e-mail (aumpassodauniversidade@gmail.com).
quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014
Posted by A Estudante

Popular Post

Blogger templates

Pages

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

About

Popular Posts

- Copyright © A Um Passo da Universidade -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -